A obrigatoriedade do MTR e as boas praticas ambientais
30 de setembro de 2021

A obrigatoriedade do MTR e as boas praticas ambientais

Toda indústria ou empresa que gera em seu processo produtivo, direta ou indiretamente resíduos perigosos está sujeita à emissão do Manifesto de Transporte de Resíduos ou MTR. 

Desde  janeiro de 2021 esse documento não é mais opcional de acordo com cada estado. A sua emissão passou a ser obrigatória em todo território nacional, tanto para quem produz o resíduo, quanto para quem transporta e para quem trata.

Logo, o MTR passou a ser obrigatório para todas as empresas que já faziam o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. 

Apesar de ser auto declaratório e emitido pelo Sistema Nacional de Informações sobre a Gestão de Resíduos Sólidos, o SINIR, o MTR,  através de sua numeração possibilita o rastreamento do material, controlando a geração, o armazenamento temporário, o transporte e a destinação dos resíduos sólidos no Brasil, até o seu recebimento na unidade de destinação final. O Certificado de Destinação Final (CDF) deverá ser assinado pelo profissional responsável técnico e somente será válido e reconhecido pelos órgãos ambientais competentes quando emitido através do MTR Online.

O responsável pelo processo de geração, transporte, armazenamento e tratamento dos resíduos deverá atualizar as informações complementares referentes ao ano anterior no MTR, até o dia 31 de março de cada ano para elaboração e envio do Inventário da situação dos resíduos sólidos no País.

Todo esse processo demanda de profissionais especializados para a emissão dos documentos atualizados em cada etapa, bem com a baixa dos documentos no sistema quando necessário até o fim do processo com a emissão do CDF 10 dias após o recebimento da carga pela unidade de destinação final. 

Apesar da conscientização ambiental estar cada vez mais dentro das empresas, ainda existem mecanismos severos de fiscalização para conter as práticas displicentes.   

O não cumprimento das mudanças na emissão do MTR 2021 caracteriza infração ambiental e pode resultar em penalidades, como advertência, multa, suspensão parcial ou total das atividades para os geradores do resíduo.

A falta da documentação no transporte de um resíduo será motivo para retenção do veículo e da carga, até que se façam as devidas atualizações.

No caso de serem constadas inconsistências ou irregularidades no MTR, ou nos resíduos transportados, o veículo e sua carga ficam retidos até que  a situação seja regularizada.

O infrator ficará sujeito às penalidades previstas no Decreto Federal n° 6.514/2008

Contar com empresas especializadas é fundamental para o bom andamento dos negócios.  A CG Ambiental é uma empresa especializada em gerenciar a destinação de resíduos dentro das normas técnicas para que seus clientes estejam alinhados com as melhores práticas de sustentabilidade. 

Nós acreditamos na transformação do mundo pela gestão ambiental.

Agende uma visita e saiba mais.

Ler mais artigos