Tóquio 2020: o que os jogos mais sustentáveis de todos os tempos podem nos ensinar
25 de agosto de 2021

Tóquio 2020: o que os jogos mais sustentáveis de todos os tempos podem nos ensinar

Nunca na história moderna da humanidade estivemos tão convencidos de que algo está realmente acontecendo com os ciclos naturais. O clima que conhecemos no século passado não é o clima que vivenciamos em 2021.

Temperaturas extremas, estiagem, chuvas intensas, desertificação. Isoladamente sempre experienciamos eventos extremos pelo planeta afora, mas, ao mesmo tempo e em locais diametralmente opostos, tem sido uma peculiaridade recente.

No caso do Brasil, enquanto alguns chamam de burocracia o procedimento de licenciamento ambiental, para outros, somos o país com uma das melhores legislações ambientais do mundo, capaz de nos ajudar na preservação e proteção da maior biodiversidade do planeta.

O problema é que a natureza, as leis e a sociedade como um todo obedecem a uma lógica exploratória econômica onde o objetivo principal tem sido o lucro.

Dentro dessa prioridade estamos todos “reféns” da mudança de paradigma e alteração nos modos de produção para que esse quadro de extremos seja amenizado e revertido.

As Olimpíadas Tóquio 2020, que aconteceram apenas neste ano por conta da pandemia, são um exemplo de esperança global. Aliando tecnologia, vontade e consciência ambiental, tanto as Olimpíadas quanto as Paralimpíadas já são consideradas o evento mais sustentável da história do esporte mundial.

Neste ano, apesar das adversidades, conseguimos ter a edição dos jogos olímpicos de 23 de julho a 8 de agosto e agora, de 23 de agosto a 5 de setembro os paralímpicos.

Além de todo espetáculo esportivo, onde o mundo todo compete, mas também interage pacificamente, temos outro motivo para comemorar. Os dois eventos foram absolutamente pensados de forma sustentável mostrando que progresso e sustentabilidade são perfeitamente viáveis e necessários diante de tudo que temos presenciado. Reciclagem e redução dos gases causadores do efeito estufa nortearam as escolhas do comitê olímpico com resultados práticos que vão servir de exemplo para todos nós.

Medalhas: foram produzidas com metais aproveitados dos lixos eletrônicos. Foram coletadas 80 mil toneladas de descartáveis em dois anos para a confecção do maior símbolo da premiação olímpica.

Camas: todas as camas dos dormitórios dos atletas foram feitas com papelão rígido que será reciclado ao final do evento.

Vila Olímpica: já pensou morar num conjunto de apartamentos que já hospedou os melhores atletas do mundo? É isso o que vai acontecer com as instalações da Vila Olímpica.

O abastecimento energético, assim como aconteceu durante os jogos, será feito por células de combustível de hidrogênio, uma energia limpa. Quanto à estrutura, optou-se pelo uso de madeiras para que, após os eventos, aquelas que não forem reutilizadas, possam ser desmontadas e transformadas em outras moradias. Diferente do uso de cimento como em outras edições, que acabaram se tornando “elefantes brancos”.

Transporte: uma frota de carros elétricos fez o traslado dos competidores, das comissões técnicas, dos funcionários e jornalistas dos locais de partidas para os dormitórios.

Pódios: toneladas de lixo são despejadas ao mar diariamente. Foi com parte dessa matéria prima que as impressoras 3D transformaram material reciclável na estrutura mais nobre das competições.

Uniformes: os voluntários vestiram uniformes produzidos com tecidos sustentáveis, que evitam desperdício de água na confecção.

Tocha Olímpica: da destruição do tsunami de 2011 foi extraído o material para confeccionar a Tocha Olímpica de alumínio. “Desenhada com sobreviventes”, diz o slogan da campanha, motivando todos nós a seguirmos em frente, mesmo nos momentos desafiadores da vida.

Neutralidade de carbono: além de todas as medidas para redução da emissão dos gases do efeito estufa na atmosfera, algumas empresas locais doaram créditos de compensação de carbono, acarretando na redução de 280 mil toneladas de emissão com relação aos eventos passados, onde a presença do público era permitida inclusive.

A CG Ambiental realiza projetos e estudos ambientais, inclusive com resíduos sólidos.

Nós acreditamos na transformação do mundo pela gestão ambiental.

Agende uma visita e saiba mais.

Ler mais artigos